Objectos Texteis | 1987

Museu Nacional do Traje | Lisboa
 

Um olhar atento sobre a natureza. Capturar a sua dimensão visível mas nem sempre vista. De uma pedra à casca de uma palmeira. De pele de cobra às espigas e às madeiras gastas pelo sol e sal. Recriar as texturas, as formas, as linhas a partir de materiais que parecem nada terem a ver uns com os outros. Os fios de algodão, a seda e o marfim, as lãs, a pedra e o alabastro, a pele de cobra, a camurça e o bambu, a casca de palmeira, a ráfia e a tartaruga, pedaços de madeira de barcos, o coral e os fios de pesca... Teia e trama aqui e ali entrecruzadas pela memória de outras culturas. Um seixo encontrado à beira-mar cortado por linhas brancas. Olhar a superfície, projectá-la no material têxtil e tecer a teia que liga tudo. Redescobrir e recriar a arrumação inteligente que a natureza reserva a todas as coisas. E encerrar essa nova arrumação num espaço intangível como o é a dimensão mítica de um seixo gasto pelas ondas de um fragmento de casca caído de uma palmeira."
 

Rafael Reis

In Catálogo
 

_técnica mista: fios de algodão, lã fiada, linho, fios de seda, fibra vegetal, cordas, fios de pesca, cânhamo, palha, cana, bambu, penas, espigas, sisal, rafia, pele de cobra, camurça, casca de palmeira, tartaruga, osso, sementes africanas, conchas, madrepérola, marfim, sementes de pistachio, alabastro, pedras, corais, madeira de barcos, vidro e prata.

 

Objectos Texteis